domingo, 4 de novembro de 2007

SEMANA MORTO!!!!

Definitivamente todo mundo morto!!!!!!!!, dias melhores virão....rs.... a esperança nunca morre!!!!, enfim, fora as "interpéries" do tempo realmente esta semana não teve absolutamente nada, as bandas não puderam comparecer, foram prestar homenagens póstumas aos seus entes queridos, afinal de contas é feriado de finados e morto também é gente ora essa!!!!!!Sabe, às vezes me pergunto o que está acontecendo com o rock?????, que se passa com a galera, se mistura atos de violência, vandalismo, idiotice extrema e se atribui isto ao rock???, sinceramente discordo de tudo isto, para mim a música é uma manifestação de arte como qualquer outro ato ligado à cultura, mas o que tenho observado ao longo do tempo é que a música está sendo deixada de lado
dando margem à "moda, relacionamento ( sexo, namoro ),confusão". Resumindo, gente que vai aos bares de música ao vivo com finalidade de mostrar visual, arranjar namorado ( a ), transa, briga, parem com isso por favor!!!!!!, rock, música arte não é isto!!! Sobre o lance do modismo, seja você mesmo, tenha sua característica, não se importe com os outros, mas procure estar bem consigo mesmo!! Sobre relacionamento, esteja certo de que tudo é consequência, não vá com o objetivo de encontrar namorada, transa, as coisas simplesmente acontecem naturalmente, e grande parte das vezes muito antes que você imagine, portanto esteja certo de que tudo é consequência. Sobre confusão, se você está revoltado com a vida porque ganha pouco, tem problemas na sua família, seu time não ganha.....rs..., isto entre outras coisas, não é arranjando confusão que a coisa irá melhorar, muito menos pense que rockeiro tem que ter cara de mau, chutar cachorro na rua e empurrrar velhinha da escada, isto não tem nada à ver, pode estar certo disto!!! procure se interar ao meio, fazendo amizades, você tem apenas à ganhar, somos um número pequeno se comparado a o grande quantingente de pessoas que existem na região, cidade, estado, país, mas podemos começar, ou mesmo mudar a concepção de muito que se pensa sobre nós, afinal somos discriminados, marginalizados pela sociedade, vistos como a casta podre devido à atitude de algumas pessoas que não tem nada à ver com a música, com a arte, com o rock, isto é fato. Tenho observado que grande parte destas pessoas que arranjavam confusão no espaço, ao longo do tempo estão em outra, morreram, viraram evangélicos,forrozeiros,axezeiros, entre outras facções que possam existir por aí........, isto é muito bom, pois chegaram realmente à conclusão que não tinham absolutamente nada à ver com a galera do rock, pois é gente, chega de papo, infelizmente isto é algo que não temos como evitar, mas podemos de uma certa forma tentar diminuir a incidência, ou mesmo até sonhar que algum dia termine, grande abraço à todos e até a próxima postagem!!

Um comentário:

Fabio disse...

É impressionante como se distorcem valores. Lendo este texto, remeti aos recentes ataques de "punks" (note as áspas) na capital paulista.
Sou freqüentador da comunidade "Ramones Brasil" no orkut. Recentemente, houve um tópico sobre esse assunto, e eu me pronunciei da seguinte maneira: "Esse pessoal não é punk. São bandidos".
Mas a questão nem é essa. Nós, amantes do rock, sabemos disso. Só que a maioria das pessoas, essas a quem Guto se refere, não sabem. Nem tem obrigação de saber, ninguém é obrigado a gostar de rock. Porém esse estereótipo criado sobre os punks gera uma repulsa natural aos fatos da forma como são mostrados.
É aí que reside o perigo: como os fatos são mostrados, e não como eles são. Isso gera o preconceito, este gera a formação de grupos, ou gangues, antagônicas, que por suas vez criam a rivalidade, e assim se formam os conflitos ideológicos. Bata tudo isso no liquidificador e você tem a violência, esta que aparece na TV, nos jornais.
Imagino que o preconceito racial tivesse sido criado assim, nesses moldes. Hoje, os negros têm cotas especiais nas faculdades. Será que veremos o dia que haverá "cotas para punks"?
Espero não ver isto!

Abraços a todos

Fabio Ross, o Semi-Onisciente
Vocal - Banda Indelével