domingo, 19 de agosto de 2007

ÚLTIMAS!!!!!

Voltamos à reabrir quartas feiras novamente, ainda uma incógnita com relação à programação das quartas, o lance do acústico e de uma possível discotecagem de pop rock/classic rock/heavy metal também está sendo analisada, está última quarta tivemos a agradável presença de Fábio ( jesus ), afinal de contas
não é sempre que "jesus" comparece no SPLASH e que se diga de passagem, extremanete "proveitoso" o diálogo, muito bom poder conversar com Jesus, acredite não é papo de evangélico, o cara é amigo mesmo!!, aliás, um dos rema
nescentes da boa safra de clientes do SPLASH que tornaram-se amigos.A Quinta feira é um dos dias de maior frequência do bar, isto graças ao sucesso da discotecagem gótika, mas nesta última quinta a galera nem deixou rolar as
pick ups, o repertório da nossa Juk Box ganhou mais potencial, chegaram ( talkin heads, raiwbow, entre outros ), conclusão o som rolou até às 3.50 hs da madruga!!, eu adorei isto!!!!! afinal aqui é o lugar onde prolifera acima de tudo a liberdade e o bem querer dos frequentadores, se grande parte optou por isto então que se faça a vontade!!!Sexta Feira tivemos o grande prazer de receber as bandas BLOXPOT ( clássicos ), e a banda CUBO REDONDO ( anos 70 ), a primeira banda ( boxplot ), mostrou um repertório variado, lançando de the CULT À METALLICA, destaque para o vocal que definitivamente expressou a sua interpretação da maneira"menos convencional" possível, o que tornou diferente a"roupagem" do som, contudo foi diferente, não sei exatamente sobre
o que a banda se propõe à fazer, mas de qualquer forma foi diferente, respeito isto. já o CUBO REDONDO começou mandando um cover de zepellin co propriedade, guitarra forte/precisa!!! mais uma vez, ao contrário das gibson a strato fez a diferença, timbre preciso!!!!, vocal insano, direto!!!!, a irreverência do guitarra me chamou a atenção, pra acabar de fuder tomou "motorhead"( drink do buteko , que para falar a verdade nem eu sei o que tem dentro ....rs.), foi então que a coisa "pegou fogo", mas os caras são profissa, humildes o que para mim mais conta, ao contrário da "outra" banda que não compareceu que não vou nem citar o nome, pois acho que nem vale à pena, estrelismo é o que mais me deixa indignado!!! gente que se acha tanto e não vêem que existem bandas muito melhores e com muito mais atitude, por esta gente eu levanto a bandeira do underground, agora pelos "estrelinhas" sinto muito, nem vale à pena comentar mais, isto me stressa!! Quanto ao sábado, mais uns problemas com o MANTRA YARD, que estava organizando o festival, me parece que um dos integrantes acabou saindo, fiquei sabendo uns dois dias antes, de pronto então tentei falar com os caras do SIMÃO BACAMARTE, que iriam tocar também, mas em cima da hora complica, a casa sem equipamentos
então dificultou, piorou mais ainda quando o PAULo, novo integrante comentou sobre o lance de cachet, nem tem como virar qualquer tipo de bonificação ou consuma para as bandas aqui é um espaço alternativo que abre espaço para bandas de rock alternativas, sobrevivemos da venda de produtos portanto totalmente inviável, não porque não queremos, mas porque não podemos, muita gente saca isto, mas outras não, infelizmente. Sendo assim fui pr0o buteko mesmo assim, devagarzaço!!!, sábadão magro, desanimado, quase para fechar as portas quando quem aparece???, galera da MATILHA, puta banda!!!, puta pessoas humanas!!!! MARCELÃO, ALE E URUBÚ, salvaram a noite, o dia a semana!!!!!, Altos papos, underground prevalecendo, saímos lá pelas 3 da matina e tava legal o papo fluiu, sempre mto bom poder rever a galera do MATILHA, são sempre bem vindos, batalhadores da cena do underground também, vou me despedindo por aqui, mas semana que vem tem mais.......

Um comentário:

ale disse...

SPLASH ROCK BAR O CBGB BRASILEIRO!

O clima do Splash não engana. A descrição do CBGB é igualzinha ao do Splash, pra gente da MatilhA: um corredor esfumaçado onde as pessoas enlouqueciam e um lugar que abrigou os primeiros punks, ávidos por diversão e sem escrúpulos pra alcançá-lo. A diferença é que o clima do Splah é beeeeeeeeeeem mais familiar, onde não tem só punks e o culpado por isso é o nosso truta, o Guto, o único "TRUTA" que pode chamar a gente a qualquer hora pra tocar , que a gente aparece com prazer. Resumindo: tocar no Splash pra MatilhA é um clássico absoluto!

GUTÃO, ARREBENTAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!